Revista Cobertura

Os mais pedidos em 2017

Seguradoras destacam produtos que trarão boas oportunidades de negócios esse ano

Por Camila Alcova

José Adalberto Ferrara

A retomada de crescimento econômico para esse ano é esperada pelo setor de seguros. Exemplo disso é demonstrado no resultado mais recente do Índice de Confiança do Setor de Seguros (ICSS), estudo mensal da Fenacor que reúne as expectativas dos players do setor. De acordo com o índice, 61% das seguradoras acreditam que nos próximos seis meses o crescimento da economia brasileira será melhor.

As perspectivas também giram em torno de determinados produtos, como seguro de vida, previdência e corporativos.

Conforme José Adalberto Ferrara, presidente da Tokio Marine, o setor deve seguir crescendo, ainda que seja em ritmo menor em comparação a anos anteriores. “Para 2017, nossa expectativa é crescer na ordem de 3% a 5%. Seguiremos com a estratégia focada em três pilares: relacionamento, para ficarmos cada vez mais próximos dos corretores e assessorias; tecnologia, que torna a operação mais ágil e precisa; e qualidade e inovação na entrega de produtos e serviços”. Em 2016, a seguradora apresentou crescimento de 7,5%, com emissão de R$ 4,1 bilhões em prêmios.

Philippe Jouvelot

A probabilidade de retomada das obras de infraestrutura beneficiarão a indústria de seguros, na opinião do presidente da Tokio Marine.

Philippe Jouvelot, presidente da AXA no Brasil, comenta que em termos de negócios a expectativa para esse ano é superar cerca de R$ 1 bilhão. Ele destaca que esse resultado é positivo principalmente quando considerado que a seguradora está em seu terceiro ano de atuação no Brasil.

Na visão do executivo, durante esse ano o produto previdência não crescerá. Já o seguro saúde deverá crescer, assim como ramos elementares, em riscos corporativos, por exemplo. “A parte do varejo ainda sofrerá pela crise”, prevê.

Em relação ao saúde, ele comenta ainda que o segmento deverá crescer por conta da necessidade de mais produtos acessíveis e com qualidade no mercado. “Ainda há muitas pessoas que desejam ter um plano de saúde mas não têm condições de pagar”, diz ele ao frisar que o ramo deverá crescer mais em comparação ao automóvel, por exemplo.

Rivaldo Leite

A Porto Seguro também espera que esse ano seja melhor em relação a 2016, de acordo com Rivaldo Leite, diretor geral. “O primeiro semestre ainda será um pouco difícil, mas conforme o governo consiga implementar as mudanças na previdência social e custos, a tendência é melhorar bastante”.

A queda da taxa de juros também colabora para as expectativas positivas. “Com isso, a tendência é de o crédito voltar, e as pessoas consumirem mais”, acrescentou.

Esse cenário será favorável inicialmente para o segmento de automóvel, na opinião de Rivaldo Leite. Além disso, a seguradora está bastante otimista com os negócios em previdência. “Esse segmento vai dar oportunidades grandes aos corretores”.

De acordo com ele, o seguro de vida também terá bom desempenho durante esse ano, especialmente o individual, que, inclusive, já tem sido mais ofertado pelo corretor, observa o executivo.

Oportunidades para o corretor

Para que os corretores aproveitem as oportunidades do mercado, José Adalberto Ferrara frisa que é necessário cada vez mais atuar como um consultor do cliente. “Tenho ressaltado com nossos corretores e assessorias a necessidade de que eles atuem efetivamente como consultores neste momento de instabilidade econômica. Em períodos como este, é preciso ficar atento às múltiplas oportunidades de venda consultiva e orientada para proteger o patrimônio dos clientes. Os corretores têm a nobre missão de nos auxiliar na difusão da cultura do seguro no País, conhecendo a fundo seus clientes para oferecer as melhores soluções e coberturas”.

Para essa empreitada, é necessário também que o corretor tenha equipes capacitadas, treinadas e bem informadas a respeito de produtos, serviços, novidades e diferenciais das seguradoras. “Nesse sentido, a Tokio Marine tem uma atuação bastante consistente no que se refere a difundir conhecimento e possibilitar a diversificação da carteira dos profissionais que trabalham com nossos produtos. Oferecemos treinamentos constantes, sejam presenciais ou pela ferramenta online Webex e estamos sempre à disposição para esclarecer eventuais dúvidas”.

Rivaldo Leite, da Porto, incentiva que os profissionais busquem oportunidades de vendas em outros seguros, além do auto. “A crise abre oportunidades para crescer em outras coisas e diminuir essa dependência brutal do seguro de automóvel”.

Novidades

Philippe Jouvelot comenta que a AXA inicia a operação em ramos a cada trimestre. De 2015 para cá, a seguradora inaugurou a atuação em riscos corporativos, vida, prestamista, afinidades, garantia, aviação e agora conta com projetos para saúde e seguro rural.

Jouvelot lembra que o grupo francês tem como uma de suas características desenvolver produtos acessíveis à grande massa, de maneira simples. “Essa estratégia combina com o Brasil, porque o país ainda é carente de seguros simples e mais baratos”, comenta ele, ao destacar as oportunidades em produtos que atendem as classes C e D.

José Adalberto Ferrara, presidente da Tokio Marine, menciona alguns produtos lançados recentemente pela companhia para expandir a oportunidade de negócios aos parceiros, o que demonstra também, de acordo com ele, a confiança da companhia em relação à retomada de crescimento econômico.

Entre as novidades, estão os seguros de responsabilidade civil executivos, seguro para obras de Arte, o agro safras, além do produto auto com rastreador, que conta com cobertura básica para furto, roubo e incêndio com assistência 24 horas, até 50% mais barato que seguros tradicionais. “E, no final do ano, lançamos também o produto Tokio Marine Auto Popular, com o objetivo de atender o nicho dos cerca de 27 milhões de veículos que circulam sem qualquer tipo de proteção no País. Esperamos que o Auto Popular, focado em carros com mais de cinco anos, represente 15% das vendas de automóvel nos próximos anos. Continuaremos diversificando o portfólio para ampliar nossa presença no mercado”.

Além dos investimentos em produtos, a seguradora tem investido em melhorias, sistemas e facilidades para parcelamento de produtos. “Também apresentamos o novo portal do corretor, que oferece requisitos de segurança e praticidade de acesso devido à sua plataforma tecnológica, além de visualização em dispositivos móveis como tablets e smartphones”, diz Ferrara.

Conteúdo da edição 184 – Março/2017 – Revista Cobertura Mercado de Seguros

Comentários

Publicidade

Newsletter



Facebook

Twitter

Revista Cobertura's Twitter avatar
Revista Cobertura
@RevCobertura

SindsegNNE faz campanha nas Redes Sociais para anunciar não adesão à greve - t.co/bNM0mme5rd

Revista Cobertura's Twitter avatar
Revista Cobertura
@RevCobertura

AIDA realiza evento sobre “Os Riscos Cibernéticos e a Responsabilidade Civil” - t.co/0q30AC1ayJ

Revista Cobertura's Twitter avatar
Revista Cobertura
@RevCobertura

Sincopeças-SP promove fórum sobre conectividade em veículos na Automec 2017 - t.co/lsYDK6wLj5

Publicidade

To Top