Clipp-Seg

Empresas envolvidas em naufrágio de rebocador são chamadas a prestar esclarecimentos ao Corpo de Bombeiros

Fonte G1

Representantes da Bertolini e da Mercosul Line reuniram com a coordenação do Corpo de Bombeiros para dar informações sobre vários pontos que integram as investigações.

Em reunião realizada nesta quinta-feira (10) na sala de situação da Defesa Civil, instalada na sede do 4ª Regional de Defesa Civil do Baixo Amazonas, em Santarém, oeste do Pará, a coordenação do Corpo de Bombeiros Militar cobrou informações às empresas Transportes Bertolini Ltda e Mercosul Line, proprietárias, respectivamente, do rebocador CXX e do Navio Mercante “Mercosul Santos”, que colidiram na madrugada do último dia 2, em um trecho do rio Amazonas às proximidades da cidade de Óbidos.

Reunião entre a coordenação do Corpo de Bombeiros Militar e representantes da Bertolini e Mercosul (Foto: Divulgação/Segup)

O CBM/Defesa Civil questionou os representantes das duas empresas sobre as definições de buscas aos desaparecidos e o trabalho de reflutuação do rebocador, localizado a 63 metros de profundidade. Foram solicitados também esclarecimentos quanto ao atendimento dos familiares das vítimas. Nove pessoas, todos tripulantes do empurrador, continuam desaparecida. A suspeita é que os corpos possam estar presos nos compartimentos do CXX.

Polícia Civil, do Centro de Perícias Científicas “Renato Chaves”, Capitania Fluvial de Santarém (Marinha do Brasil) e Polícia Militar também participaram da reunião coordenada pelo coronel BM Francisco Cantuária.

Em uma ata assinada ao final da reunião ficaram reunidos vários pontos, entre os quais o fornecimento informações (e-mails e documentos) referentes à contratação de empresa especializada no trabalho de salvatagem. O Corpo de Bombeiros ainda vai enviar um ofício à Transportes Bertolini Ltda, com o pedido de informações. A empresa terá até o dia 16 para responder. Também está prevista para este dia uma nova reunião.

A seguradora P&I, que presta serviços à Transportes Bertolini, será convocada a participar do encontro. A seguradora é a responsável direta pela contratação da empresa de salvatagem.

“Esse momento serviu para que as empresas reunissem e mostrassem para os órgãos de segurança, as medidas de resgate dos desaparecidos. Isso nos permite mostrar, sobretudo aos familiares, todas providências que estão sendo tomadas para localizar as vítimas. O compromisso do governo do Estado é articular ações para solucionar rapidamente o caso”, disse o coronel Cantuária.

“A seguradora está buscando empresas especializadas no resgate dos desaparecidos e o içamento do empurrador. Eles informaram que nenhuma empresa qualificada apresentou condições para a execução dos trabalhos até o momento, devido às dificuldades do local onde o naufrágio ocorreu”, disse Marcelo Schroder, gerente da Bertolini. O executivo informou que a empresa teria reunido com 27 parentes de vítimas do naufrágio.

O protocolo para a liberação do Navio “Mercosul Santos” junto à Marinha do Brasil também foi discutido durante a reunião. A embarcação continua fundeada no rio Amazonas e distante 15 quilômetros do ponto de localização do rebocador.

O Corpo de Bombeiros solicitou à Bertolini o plano de resgate da barcaça presa ao navio Mercosul Santos.

Comentários

Newsletter



Facebook

Twitter

Revista Cobertura's Twitter avatar
Revista Cobertura
@RevCobertura

MBA a distância tem primeira turma confirmada na @EscolaDeSeguros - t.co/PuGfrhM7qy

Revista Cobertura's Twitter avatar
Revista Cobertura
@RevCobertura

18ª edição da Feijoada do CVG-RJ repete sucesso - t.co/pQjuCrUlZM

Revista Cobertura's Twitter avatar
Revista Cobertura
@RevCobertura

JLT promoveu uma ação solidária de Natal no Centro Assistencial Cruz de Malta t.co/sJoqhkljt2

To Top