Auto & Serviços

Quando o seguro protege o carro contra queda de árvores?

 

Especialista da ComparaOnline tira as dúvidas e explica qual é o melhor produto para cada caso

São Paulo – Em janeiro, é comum que as fortes chuvas causem certos transtornos, como enchentes e quedas de árvores. De acordo com a Defesa Civil, apenas em janeiro de 2017, 833 árvores caíram na cidade de São Paulo. Esse problema, além de afetar residências, fornecimento de energia elétrica e atrapalhar o trânsito, pode também atingir carros e resultar até mesmo na perda do veículo. E como saber se o seu seguro auto cobre esses acidentes? O especialista da ComparaOnline, marketplace de comparação de seguros e produtos financeiros, tira todas as dúvidas para não ficar sem proteção.

Em primeiro lugar, é importante saber que o seguro é essencial em locais de fortes chuvas. Paulo Marchetti, CEO da ComparaOnline no Brasil, explica que, ao buscar um seguro, é necessário fazer a contratação com cobertura total do bem, também conhecida como cobertura compreensiva. Essa modalidade vale para incêndio, acidentes, furtos, roubos e também fenômenos da natureza, como quedas de árvores, alagamentos e granizo. Dependendo do plano contratado, a cobertura do seguro do auto pode servir também para objetos que caem sobre o veículo numa tempestade, como postes, placas e muros.

O especialista também alerta: “É importante que a cobertura seja compreensiva, pois nos casos de coberturas limitadas, a indenização é dada apenas contra furto, roubo e danos provocados a terceiro, sem incluir problemas decorrentes de causas naturais”, explica Marchetti. Já cobertura de responsabilidade civil costuma ser 40% mais barata do que a cobertura total, mas é preciso se atentar aos detalhes.

“Mesmo se a cobertura incluir danos causados por alagamento, é importante verificar bem as cláusulas, pois a seguradora pode não aceitar ressarcir um motorista que optou por dirigir em uma via alagada. Esse tipo de cobertura vale apenas para situações em que não é possível prever ou evitar o problema. Já no caso de quedas de árvores, o contrato do seguro automotivo não é tão restrito, já que ela é, por definição, difícil de prever ou ser evitada”, finaliza Marchetti.

Comentários

Newsletter



Facebook

Twitter

Revista Cobertura's Twitter avatar
Revista Cobertura
@RevCobertura

Todas as sextas-feiras, as rádios BandNews e Alpha irão veicular entrevista exclusiva com Marcio Coriolano, preside… t.co/QU7w29Ksku

Revista Cobertura's Twitter avatar
Revista Cobertura
@RevCobertura

O objetivo é buscar soluções para a atual situação do seguro de Automóvel no estado t.co/Z5avCtIqgn

Revista Cobertura's Twitter avatar
Revista Cobertura
@RevCobertura

Consultoria apresenta pesquisa sobre performance do PGBL/VGBL em 2017. Cerca de 61% desses fundos renderam acima do… t.co/oybwO9Kt4R

To Top