Saúde e Odonto

Dicas para evitar o contágio da conjuntivite no inverno

 

Os casos da doença aumentam especificamente nessa época do ano e especialistas mostram a melhor forma de evitar a contaminação

 A conjuntivite é o nome dado à inflamação do tecido que reveste os olhos e as pálpebras internamente, a conjuntiva. Como em épocas mais frias as pessoas tendem em ficar em locais fechados e com pouca circulação de ar, a epidemia costuma se proliferar. Há basicamente três maneiras de ser contagiado: infecção por vírus ou bactérias, irritação a alguns produtos como xampu, fumaça, poeira e alergias.

A causa mais comum é a conjuntivite infecciosa bacteriana. Pode ser causada por vírus, bactéria ou fungos, quando a pessoa tem o contato com objetos contaminados como toalhas, maquiagens, fronhas entre outros utensílios. No caso da viral, acontece durante pequenas epidemias. Age de forma rápida diante de ambientes que propiciam contato direto com secreções e ambientes populosos como escolas, meios de transporte e empresas.

Já conjuntivite alérgica, na maioria dos casos, acomete pessoas que possuem tendência a alergias como rinite e bronquite. Esta não é transmissível e pode ser causada por reações alérgicas a poeira, pelo de animais e outros fragmentos que possam cair nos olhos.
“Os casos de conjuntivite aumentam especificamente no inverno, com o tempo seco o que contribui com o aumentar da incidência e a proliferação da doença. Os sintomas são ardência, coceira, inchaço das pálpebras, lacrimejamento, olhos vermelhos, secreções, sensação de areia nos olhos e sensibilidade à luz”, afirma Dr. Cury, responsável técnico da MAPFFRE Saúde.
Uma vez contaminado pela conjuntivite o tratamento será determinado de acordo com o tipo da infecção. “Em casos bacterianos, o tratamento será feito com o uso de antibióticos, realizado e interrompido com orientação médica. Se a causa for viral, deve-se esperar a melhora entre 7 a 10 dias após seu início”, conclui o especialista.

Para evitar o contagio, a MAPFRE Saúde listou importantes hábitos que dificultam a contaminação:

• Lave as mãos frequentemente com água e sabão;
• Evite tocar os olhos sem higienizar as mãos;
• Evite usar maquiagem de outras pessoas nos olhos;
• Nunca use lentes de contato de outras pessoas;
• Nunca use colírios utilizados anteriormente por pessoa com conjuntivite;
• Não leve seu filho com conjuntivite para o berçário ou à escola até que o quadro tenha se resolvido;
• Utilize apenas produtos descartáveis para limpeza e realização de compressas na área afetada pela conjuntivite (algodão, gaze ou lenço de papel), desprezando-os imediatamente após o uso;
• Lave, regularmente, lençóis, fronhas e toalhas.

Comentários

Newsletter



Facebook

Instagram

Twitter

Revista Cobertura's Twitter avatar
Revista Cobertura
@RevCobertura

Tendências em seguros de linhas financeiras - t.co/2hR6tIzqsC

Revista Cobertura's Twitter avatar
Revista Cobertura
@RevCobertura

Risco cibernético na cadeia de suprimentos - t.co/m2UcSGEtMM

Revista Cobertura's Twitter avatar
Revista Cobertura
@RevCobertura

Tecnologia transformada em serviços - t.co/xocUUUfA6I

To Top