Clipp-Seg

Vendedor porta a porta faz dívida de R$ 300 mil virar negócio de R$ 226 mi

 

Fonte EXAME.com
Por Mariana Fonseca

Reinaldo Zanon transformou a corretora de seguros do pai em uma rede com 1.200 franqueados. A experiência em expansão e vendas foi fundamental

Reinaldo Zanon, da Seguralta: sua experiência como funcionário fez a diferença na hora de levantar o negócio familiar (Seguralta/Divulgação)

São Paulo – Não é nada fácil assumir um negócio familiar. Pior ainda se ele está cheio de dívidas. Esse foi o desafio dos empreendedores e irmãos Luis Gustavo e Reinaldo Zanon, que assumiram a corretora de seguros do pai, com décadas de história – e uma dívida de 300 mil reais com o banco.

Para fazer a Seguralta crescer novamente, foi preciso trazer a empresa para o século XXI. A estratégia foi uma mistura de gestão sisuda, implementação de novas tecnologias e compartilhamento de responsabilidade por meio do franqueamento.

Hoje, a dívida de centenas de milhares se transformou em uma rede com 1.200 franqueados. Apenas no ano passado, o faturamento da Seguralta foi de 226 milhões de reais. Em 2018, a projeção é abrir mais 300 corretoras e elevar os ganhos da 311 milhões de reais.

Ensinamentos de expansão e vendas

A Seguralta já é um negócio de 50 anos de idade. Reinaldo Zanon chegou a trabalhar com o pai aos 17 anos de idade, mas não via muita oportunidade de crescer dentro de uma corretora de seguros tradicional e regionalizada, com forte atuação apenas no interior do estado de São Paulo.

Por isso, aos 22 anos de idade, Zanon tornou-se vendedor porta a porta de uma rede americana de produtos naturais de bem-estar. De 2004 a 2008, foi de comercializador de soluções para emagrecer para diretor de expansão, com 500 funcionários sob seu comando.

Ele tomou gosto pela tarefa de fazer empresas crescerem suas operações – e achou que era a hora de levar a mesma filosofia para a Seguralta. Reinaldo se uniu ao irmão Luis Gustavo e assumiu o comando da empresa – o pai cedeu seu lugar e os empreendedores negociaram a saída dos outros sócios da Seguralta.

Comentários

Newsletter



Facebook

Instagram

Twitter

Revista Cobertura's Twitter avatar
Revista Cobertura
@RevCobertura

Seguro e previdência às MPEs só devem ganhar força depois de 2019 - t.co/O6oAjH2sER

Revista Cobertura's Twitter avatar
Revista Cobertura
@RevCobertura

SC tem mais de 9,5 mil furtos e roubos de carros de janeiro a setembro de 2018 - t.co/3Fj503h3Oe

Revista Cobertura's Twitter avatar
Revista Cobertura
@RevCobertura

Fenasaúde divulga estudo sobre desafios da saúde suplementar e levantamento de soluções - t.co/vwlacnl6aB

To Top