Vida, Previdência e AP

Abrapp reforça necessidade de reforma estrutural da Previdência depois de dados divulgados pelo IBGE

 

Os dados divulgados recentemente pelo IBGE, que mostram que haverá mais pessoas idosas que crianças no Brasil em 20 anos, reforçaram a necessidade de o País fazer uma reforma para valer da Previdência. A avaliação é do presidente da Abrapp (Associação Brasileira das Entidades Privadas de Previdência Complementar), Luís Ricardo Martins.

“A pesquisa do IBGE confirma que é urgente fazer uma reforma estrutural da Previdência”, afirma Martins. “O modelo atual, de pacto de gerações (em que os jovens pagam pela aposentadoria dos idosos) não se sustenta”.

Levando em conta essa necessidade, a Abrapp vai apresentar a todos os candidatos à Presidência da República uma série de sugestões para viabilizar a reforma. A proposta da entidade, que reúne os fundos de pensão, tem como primeiro pilar o teto de R$ 2 mil para o benefício contributivo por repartição. O segundo pilar é a adoção do benefício contributivo por capitalização no intervalo entre R$ 2 mil e R$ 8 mil.

O terceiro pilar que baseia a reforma da Previdência defendida pela Abrapp é a adoção da Previdência Complementar Coletiva, de caráter facultativo, prevendo a capitalização com incentivos tributários para formação de poupança de longo prazo. Também facultativo, o quarto pilar é a poupança individual com capitalização e incentivado para poupança de longo prazo.

A Abrapp baseia suas sugestões em sua experiência de décadas no sistema de previdência complementar fechada. “Temos números muito expressivos que reforçam nossa credibilidade”, lembra Luís Ricardo Martins. Entre esses pontos ele destaca:

– Em termos absolutos, o País tem o 10º sistema de previdência complementar fechada do mundo;

– O Brasil conta com mais de 300 fundos de pensão e número superior a 3 mil patrocinadoras (70% delas são empresas privadas), que administram mais de 1.130 planos de benefícios;

– O sistema beneficia mais de 7 milhões de pessoas e paga regularmente benefícios em volume superior a R$ 48 bilhões por ano;

– tem reservas superiores a R$ 860 bilhões, equivalentes a cerca de 13% do PIB.

Diante da necessidade urgente de mudanças na Previdência, que ficou ainda mais clara com os números divulgados pelo IBGE, a Abrapp enfatiza que o Brasil precisa fazer uma reforma estrutural, para a qual o sistema de previdência complementar fechada se dispõe a colaborar com base no conhecimento acumulado por décadas. “Nossas propostas estão colocadas e estamos mais do que dispostos a esclarecê-las e a debatê-las”, afirma Luís Ricardo Martins.

Comentários

Newsletter



Facebook

Instagram

Twitter

Revista Cobertura's Twitter avatar
Revista Cobertura
@RevCobertura

Seguro e previdência às MPEs só devem ganhar força depois de 2019 - t.co/O6oAjH2sER

Revista Cobertura's Twitter avatar
Revista Cobertura
@RevCobertura

SC tem mais de 9,5 mil furtos e roubos de carros de janeiro a setembro de 2018 - t.co/3Fj503h3Oe

Revista Cobertura's Twitter avatar
Revista Cobertura
@RevCobertura

Fenasaúde divulga estudo sobre desafios da saúde suplementar e levantamento de soluções - t.co/vwlacnl6aB

To Top