Cursos

Setor mantém expansão e demanda especialistas

 

Acompanhando a expectativa de retomada do crescimento da economia brasileira, o setor de seguros manteve, em 2018, a trajetória de expansão registrada nos últimos anos. De acordo com dados divulgados na última semana pela CNseg, a projeção de arrecadação da indústria de seguros para 2018 é de R$ 442,1 bilhões, o que representa crescimento nominal de 3,1% no ano.

Para 2019, a previsão de aumento varia de 6,3% a 8,4%, segundo a entidade. Os números comprovam que o segmento mantém o cenário positivo, movimentando a economia e gerando empregos.

Com diferentes tipos de empresas e entidades, o setor demanda profissionais de todos os níveis. Um dos cursos mais indicados para quem deseja se especializar para atuar no setor é a Graduação Tecnológica em Gestão de Seguros, oferecida pela Escola Nacional de Seguros.

O curso está com inscrições abertas para a turma do primeiro semestre de 2019 e as aulas serão realizadas no Rio de Janeiro (RJ). Os próximos processos seletivos serão nos dias 12 e 16 de janeiro.

O programa tem duração de dois anos e apresenta uma visão mais profunda e focada no segmento. Os egressos do curso recebem diploma de nível superior e também gratuidade para prestar o Exame para Habilitação de Corretor de Seguros. Sendo aprovados, poderão requerer registro junto à Susep para exercer a profissão.

Mais informações como investimento, conteúdo programático e corpo docente podem ser encontradas no site profissaosegura.com.br, que também é o canal para inscrições no processo seletivo.

Comentários

Newsletter



Facebook

Instagram

Twitter

Revista Cobertura's Twitter avatar
Revista Cobertura
@RevCobertura

Solange Vieira toma posse como superintendente da Susep - t.co/DSPLIHGM7G

Revista Cobertura's Twitter avatar
Revista Cobertura
@RevCobertura

VP da SulAmérica é eleito ‘executivo de TI do ano´ do setor de Seguros - t.co/qXXIyljlBX

Revista Cobertura's Twitter avatar
Revista Cobertura
@RevCobertura

Nova titular da Susep defende desregulamentação e menor presença do Estado - t.co/YceQJukCMW

To Top