Redação

Entrevista exclusiva – Know how e distribuição reúnem AIG e Porto Seguro

 

Por Karin Fuchs

Em uma parceria inédita entre seguradoras, a Porto Seguro passa a operar com seguros de responsabilidade civil para pequenas e médias empresas (PMEs), contando com o know how da AIG. A parceria é de 20 anos e abrange cinco produtos: Gestão Protegida (D&O), RC Profissional, Riscos Cibernéticos, Ambiental Transporte e Operador Portuário.

“Trata-se de uma parceria inédita entre duas seguradoras, bastante interessante, pois tem a marca, a capacidade e a experiência da AIG, junto ao canal de distribuição da Porto Seguro e toda a sua eficiência operacional”, afirma Fabio Protásio Oliveira (foto), presidente da AIG Seguros.

Marcelo Picanço, diretor geral de Seguros e Investimentos da Porto Seguro, explica que o produto/apólice é da Porto Seguro e toda a comercialização se dará pelo canal corretor que a companhia se relaciona. “A parceria é uma transferência de know how e da capacidade de absorção de risco por parte da AIG. Eles vão participar do risco como ‘resseguradora’, com o conhecimento técnico que normalmente é aportado no modelo de resseguro”.

Corretores de seguros 

O acordo já foi anunciado aos corretores de seguros e os seguros de responsabilidade civil farão parte da grade de treinamentos da Porto Seguro e da sua Escola de Corretores. “A nossa ideia é que eles sejam comercializados pelos corretores da forma mais democrática possível, não desejamos que fique restrito a um grupo de corretores, até porque a natureza da Porto é de varejo, trabalhar com o menor ao maior corretor”, diz Picanço (à dir.).

E principalmente, aproveitando o relacionamento que os corretores já têm com seus clientes pessoas jurídicas, como no seguro empresarial ou no seguro do automóvel. “Não tínhamos o produto de Responsabilidade Civil de forma sistemática, mas algumas coberturas. Agora, nós estamos ampliando a prateleira para dar mais oportunidades aos corretores atenderem as necessidades de seus clientes de forma mais ampla”, comenta o diretor.

Universo de negócios

No Brasil, apenas 30% das pequenas e médias empresas têm uma proteção de seguro. “Há muitas empresas ainda desassistidas e sabemos que, para muitas delas, um sinistro pode significar o fim de suas atividades. O que falamos para o corretor é que ele pode proteger a sobrevivência de uma empresa, que muitas vezes não tem como arcar com um processo de Responsabilidade Civil”, afirma Picanço.

Segundo ele, o campo é enorme para ser explorado pelos corretores, a exemplo também dos médicos e dos profissionais liberais. “Dada a exposição que existe hoje contra profissionais, até em redes sociais, as pessoas têm que estar protegidas contra processos. E com o seguro, elas contam também com alguém para ajudá-las na condução, nos procedimentos para se defender”.

Para o presidente da AIG Brasil, não apenas o conhecimento do corretor tem que ser trabalhado, como também o do cliente, para que ele possa ver o seguro de responsabilidade civil realmente como um investimento. “No Brasil, seguro é visto como um gasto, ao contrário dos países desenvolvidos aonde é visto como um investimento, pois ele irá garantir que uma empresa não interrompa suas operações, em caso de um evento inesperado”.

E Oliveira comenta quais são as expectativas com esta parceria. “Não esperamos que ela impacte nos nossos resultados fortemente no próximo ano, até porque existe um cronograma de lançamento de cada produto. Somente em 2020 teremos todos eles devidamente registrados, todos os corretores treinados e realmente veremos o potencial desta parceria. Em termos de produção, acho que teremos um crescimento exponencial nos próximos anos”.

Anunciado neste mês de dezembro, a aprovação do acordo está sujeito à aprovação do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (CADE). “Sempre uma operação entre duas empresas de grande porte requer aprovação”, reforça Oliveira. E também da aprovação de produtos por parte da Susep, que serão “montados” pela Porto Seguro, a partir do know how da AIG Brasil.

Parceria 

O relacionamento ente ambas as seguradoras não é de hoje. Em 2016, a AIG Brasil passou por uma reestruturação e a decisão foi parar de operar com o seguro de automóvel, então a carteira foi vendida para a Porto Seguro. “Justamente, por serem os líderes neste segmento e para garantir que os nossos clientes estivessem assistidos com um serviço diferenciado”, recorda-se Oliveira.

E no processo do acordo acima citado, as companhias iniciaram conversas sobre produtos e canais, e as oportunidades de trabalharem juntos, até chegarem a atual parceria com os seguros de responsabilidade civil para pequenas e médias empresas.

“Olhando para a fortaleza de cada companhia, a da Porto Seguro tem uma distribuição muito abrangente no país, atendendo quase 30 mil corretores. A AIG Brasil é uma companhia multinacional inovadora em novos produtos, principalmente quando falamos de seguros para pessoas jurídicas. Assim se deu a parceria e o foco é expandir mercado”, conclui.

Comentários

Newsletter



Facebook

Instagram

Twitter

Revista Cobertura's Twitter avatar
Revista Cobertura
@RevCobertura

21º Congresso: Cláudia Leite fará show de abertura - t.co/RqVpmpoPEY

Revista Cobertura's Twitter avatar
Revista Cobertura
@RevCobertura

Concorra a 30 Cestas Natalidade PASI - t.co/awhxT39tUM

Revista Cobertura's Twitter avatar
Revista Cobertura
@RevCobertura

Youse amplia autonomia de clientes com possibilidade de alterar apólice online - t.co/YhtswI8t43

To Top