Vida, Previdência e AP

Os melhores e os piores PGBL/VGBL de 2018

 

GuruPrev apresenta pesquisa sobre performance dos PGBL/VGBL no ano passado.

O GuruPrev divulgou os principais resultados da sua análise do mercado de PGBL/VGBL. A base de dados dos planos PGBL/VGBL tem 9.070 planos de previdência no mercado e mais de 1.280 fundos de investimentos atrelados a estes produtos.

Em 2017, os fundos já haviam apresentado um excelente resultado, no qual renderam em média, 113% do CDI, porém, de acordo a nova pesquisa, a média de rentabilidade no ano passado (2018) foi de 7,5 %, o que representou 117% do CDI, ou seja, foi ainda melhor. De uma forma geral, 57% dos fundos renderam acima do CDI.

Esses fundos de investimentos terminaram o ano com um patrimônio total de R$ 783,6 bilhões, distribuídos em modalidades de renda fixa, multimercados, balanceados e data-alvo. Em 2017, o valor do patrimônio líquido dos fundos PGBL/VGBL monitorados pelo GuruPrev era de R$ 713,0 bilhões, portanto, houve um crescimento de 9,9%.

As seguradoras ligadas a bancos têm quase 95% do patrimônio líquido total de todos os fundos de previdência do mercado, cujos ativos estão distribuídos em 69,3% da quantidade de fundos.

Outra questão de destaque é que os fundos do mercado de Previdência mais rentáveis são, em média, 5 anos e 4 meses mais jovens do que os menos rentáveis. Ou seja, os fundos criados recentemente são, na média, mais rentáveis que os antigos.

Outras informações interessantes obtidas pelo GuruPrev

 63,0% dos fundos renderam acima do CDI em 24 meses (115% na média);

 No acumulado de 2016 a 2018 (período de 3 anos), na média, o rendimento foi de 39,3%, o que representou 118% do CDI acumulado;

 Houve uma recuperação significativa nesses 3 últimos anos, pois a média dos últimos 48 meses foi de 50,6% ou seja, 99,3% do CDI;

Curiosidades: Melhores vs Piores fundos do mercado

 A rentabilidade média dos MELHORES PGBL/VGBL de 2018 foi de 13,1%, representando 204% do CDI;

 Na contramão, a rentabilidade média dos PIORES PGBL/VGBL de 2018 foi de 4,2%, representando 65,2% do CDI.

 A Taxa de Administração média dos melhores fundos é quase 1% menor do que a dos piores, 1,09% a.a. para os melhores e 2,08% a.a. para os piores. Os piores fundos do ano de 2018 têm um patrimônio líquido somado aproximadamente 9 vezes maior do que a dos melhores – Melhores com R$ 11,9 bi e Piores com R$ 99,3 bi.

 Distribuição dos melhores e piores pela classificação da ANBIMA:

Classificação Anbima Melhores Piores
Previdência Balanceados 12,2% 13,9%
Previdência Data-Alvo 7,8% 2,6%
Previdência Multimercados 31,3% 24,3%
Previdência Renda Fixa 48,7% 59,1%
Total Geral 100,0% 100,0%

Os principais responsáveis pela boa rentabilidade foram:

 Fundos de investimento de renda fixa com papéis de longo prazo indexados à inflação na carteira;

 Fundos com renda variável na carteira em proporções superiores a 20%;

 Taxas de administração financeiras mais baixas;

Taxas de Administração dos Fundos

 A taxa de administração média do mercado PGBL/VGBL

Classificação Anbima Taxa de Administração (%) Nº de Fundos de Investimento
Previdência Balanceados 1,77 182
Previdência Data-Alvo 2,21 40
Previdência Multimercados 0,97 655
Previdência Renda Fixa 1,12 404
Total Geral 1,17 1.281

 Ao longo do tempo, as Taxas de Administração apresentaram uma queda superior a 1%, ou seja, fundos criados mais recentemente, em média, possuem Taxas de Administração menores que os fundos criados no início da era dos PGBL/VGBL;

 Para os fundos iniciados em 1998, e ainda vigentes, a Taxa de Administração média é de 2,21% a.a. (15 fundos). Já nos fundos criados em 2018, a Taxa de Administração média é de 1,06% a.a. (134 fundos ativos).

Dos fundos de investimentos disponíveis para contratação

 Atualmente existem 1.116 produtos distribuídos em 319 fundos de investimentos que podem ser contratados por pessoas físicas no mercado. Os demais produtos/fundos estão fechados a novas inscrições ou se destinam a planos empresariais.

 Os fundos de investimentos PGBL/VGBL disponíveis para contratação apresentaram uma rentabilidade bem similar à obtida pelo mercado em geral, pois registraram uma rentabilidade de 7,28% no ano, ou 113,3% do CDI.

 Os fundos disponíveis, de acordo com a sua classificação, obtiveram o seguinte resultado:

Classificação Anbima Nº de Fundos Taxa de Adm média (% a.a.) Média do Retorno no Ano (%) Média do Retorno no Ano (% do CDI)
 Previdência Balanceados 65 1,78 8,12 126,5
 Previdência Data-Alvo 24 2,44 8,94 139,3
 Previdência Multimercados 67 1,87 8,17 127,2
 Previdência Renda Fixa 163 1,30 6,36 99,0
 Total Geral 319 1,60 7,28 113,3

 Uma curiosidade interessante é que, apesar do mercado estar se direcionando para ofertar mais fundos Multimercados, vide o número de fundos desta classificação criados em 2018, as seguradoras ainda estão ofertando mais fundos de Renda Fixa. Distribuição dos 319 fundos PGBL/VGBL em comercialização:

Classificação Anbima % de Fundos de Investimento
Previdência Balanceados 20,4%
Previdência Data-Alvo 7,5%
Previdência Multimercados 21,0%
Previdência Renda Fixa 51,1%
Total Geral 100,0%

Os produtos ofertados pelo mercado têm condições específicas para contratação como valor mínimo de contribuição mensal/aporte, taxas de carregamento, carências para resgates e portabilidades, condições de recebimento de rendas mensais na aposentadoria, etc. Um fato curioso é que ter um produto de uma instituição financeira maior, como Seguradoras ligadas a Bancos, não significa obter as melhores rentabilidades. A tabela a seguir mostra as diferenças médias entre elas:

  Nº de Fundos Taxa de Adm média (% a.a.) Média do Retorno no Ano (%) Média do Retorno no Ano (% do CDI)
Ligadas a BANCO 180 1,73 6,74 104,9
Independentes 139 1,45 8,02 124,8
Total Geral 319 1,60 7,28 113,3

Como é possível verificar na tabela, as seguradoras “Independentes” obtiveram, na média, um retorno 1,25% acima das seguradoras de Bancos, o que equivale a aproximadamente +20% do CDI.

“O GuruPrev também faz um alerta: “estar na melhor Seguradora não é necessariamente sinônimo de ter o melhor Fundo, pois a rentabilidade pode variar dentro da própria Seguradora. Muitas delas têm fundos com perfil para todos os gostos e condições financeiras, como aportes/portabilidade e contribuições mensais. Como em qualquer mercado, há excelentes produtos para contratação e também outros ruins”, pondera Geraldo Magela, diretor do GuruPrev.

Os PGBL/VGBL são excelentes instrumentos para a aposentadoria e para se investir, mas é necessário que cada pessoa esteja sempre atenta ao mercado, analisando sistematicamente as opções disponíveis e comparando-as com o seu plano atual. Se encontrar algo melhor e mais adequado aos seus objetivos, ela deveria realizar a portabilidade dos seus recursos”.

Guruprev – Consultor on line para monitorar a saúde financeira do VGBL e PGBL, contribuindo para maximizar a performance dos investimentos, atingindo maior rentabilidade e pagando taxas menores. Faz comparação com mais de 9 mil planos de previdência do mercado.

Comentários

Newsletter



Facebook

Instagram

Twitter

Revista Cobertura's Twitter avatar
Revista Cobertura
@RevCobertura

RC Produtos tem grande gama de sinistros - t.co/Wiz8YdzsPN

Revista Cobertura's Twitter avatar
Revista Cobertura
@RevCobertura

Prudential e SEGASP Univalores firmam parceria inédita no mercado brasileiro de seguros - t.co/XaYkufOWF7

Revista Cobertura's Twitter avatar
Revista Cobertura
@RevCobertura

Por trás da inteligência artificial - t.co/MNQyegLCAK

To Top