Vida, Previdência e AP

Envelhecimento da população eleva despesas com aposentadorias e vulnerabilidade fiscal na América Latina

 

Nova York – O envelhecimento da população pressiona os sistemas de aposentadoria com implicações negativas para as finanças dos respectivos governos

– Aposentadorias com benefícios generosos, contribuições pequenas e idade média baixa para se aposentar pressionam a sustentabilidade dos sistemas previdenciários na Argentina, Brasil e Colômbia

Ao longo da próxima década e para além dela, os sistemas de previdência pública na América Latina sofrerão pressões à medida que a população envelhece e que a relação entre o número de aposentados e a população em idade ativa no mercado de trabalho aumenta, afirma a Moody’s Investors Service em um novo relatório.

“Despesas relacionadas aos sistemas de previdência já aumentam a pressão sobre os gastos dos governos em alguns países, incluindo Argentina, Brasil, Chile, Colômbia e Uruguai”, afirma Samar Maziad, uma vice-presidente da Moody´s. “As pressões são severas na Argentina e no Brasil e exigem ações políticas para que a questão dos custos crescentes com aposentadorias seja equacionada e a deterioração fiscal, controlada. No caso do Chile, a sólida posição fiscal do governo e o baixo nível de endividamento limitam a potencial deterioração fiscal, enquanto na Colômbia e no Uruguai o espaço fiscal é mais limitado”.

De acordo com a agência de ratings, o envelhecimento da população e o aumento da proporção de dependência dos idosos pressionarão sistemas de previdência com benefícios definidos à medida que a força de trabalho diminui e as contribuições para previdência social recuam. Ao mesmo tempo, as despesas com previdência continuarão elevadas ou aumentarão conforme a força de trabalho atinge a idade de se aposentar. Em consequência, déficits relacionados aos sistemas de aposentadoria devem manter-se elevados no médio prazo.

Atualmente, Argentina, Brasil, Colômbia e Uruguai enfrentam desafios fiscais e têm nível elevado de despesas relacionadas a aposentadorias. Além disso, O elevado nível de endividamento na Argentina e no Brasil limita a capacidade destes governos de acomodar as despesas relacionadas aos sistemas previdenciários. Reformas previdenciárias serão necessárias para aliviar pressões orçamentárias e reduzir a rigidez fiscal.

Comentários

Newsletter



Facebook

Instagram

Twitter

Revista Cobertura's Twitter avatar
Revista Cobertura
@RevCobertura

21º Congresso: Cláudia Leite fará show de abertura - t.co/RqVpmpoPEY

Revista Cobertura's Twitter avatar
Revista Cobertura
@RevCobertura

Concorra a 30 Cestas Natalidade PASI - t.co/awhxT39tUM

Revista Cobertura's Twitter avatar
Revista Cobertura
@RevCobertura

Youse amplia autonomia de clientes com possibilidade de alterar apólice online - t.co/YhtswI8t43

To Top