Redação

Risco do empregador pode ser avaliado em qualquer tamanho de empresa

 

Por Tany Souza

Todas as empresas correm algum risco, seja ele de grande porte ou de menor porte. Para Katiuscia Brandão, especialista de sinistros de Responsabilidade Civil da AIG, o risco do empregador está em qualquer tamanho de empresa.

Segundo ela, um dos primeiros desafios é o tempo de comunicação de um sinistro. “Quanto mais rápido recebe a comunicação, melhora a qualidade do trabalho. Tempo é algo importante não somente para indenização, mas para que ela aconteça na hora certa”.

Hoje no cenário que temos, dentro da nova legislação trabalhista, o prestador de serviços se equipara ao empregado, explicou Katiuscia. “E por isso nossas apólices já estão adaptadas para esse tipo de atendimento. Pois o prestador de serviços também pode sofrer um sinistro, ele também está exposto aos riscos da empresa”.

“É por isso que há muita oportunidade de negócios em RC Empregador, já que a maior parte das empresas não tem reserva para pagar indenização, caso ocorra algum sinistro envolvendo seus funcionários e prestadores de serviços”, completou ela.

O grande peso do RC Empregador é o salário do funcionário, a expectativa de vida dele e quem são os dependentes. “Quanto ao dano moral, em São Paulo e Rio de Janeiro, tem a jurisprudência menor, mas no nordeste as indenizações são altas. O restante disso é a expectativa de vida, pois se o salário do funcionário era baixo, talvez a indenização não seja cara”.

Para se ter cada vez mais oportunidade de negócios neste ramo, é importante sempre colocar o sinistro na negociação e falar do serviço agregado. “Quando falamos de RC, o cliente está mais focado em proteger seu patrimônio físico e não tem essa visão do potencial de dano que um evento de responsabilidade civil pode ter no seu fluxo de caixa e na própria empresa. Não é somente um papel, mas a seguradora dará todo o suporte para ele, inclusive judicial e toda nossa expertise neste ramo”, comentou Nathália Gallinari, gerente de seguro ambiental e responsabilidade civil da AIG.

Comentários

Newsletter



Facebook

Instagram

Twitter

Revista Cobertura's Twitter avatar
Revista Cobertura
@RevCobertura

Longevidade deve ser pauta constante do mercado - Evento debate desafios de atendimento e como a população acima de… t.co/1ylVtMOQuT

Revista Cobertura's Twitter avatar
Revista Cobertura
@RevCobertura

FenaSaúde discute importância da Atenção Primária  - t.co/m8QOqf4MOA

Revista Cobertura's Twitter avatar
Revista Cobertura
@RevCobertura

Setor de seguros aposta em novo mercado de consumidores - t.co/Pgv5NL2jZY

To Top