Artigos

Previdência ou imprevidência?

 

Por Presidente da Visafran

O assunto do dia é a aprovação da reforma previdenciária que foi acertada na CCJ do congresso devendo seguir para autorização da câmara e senado. Dando tranquilidade ao governo para seguir com outras reformas necessárias ao país.

Todos nós devemos nos preocupar com o futuro, seja da nossa aposentadoria, da nossa família e/ou de nossa empresa.

Muitos vivem como se a insegurança do futuro não existisse, não se preocupam em fazer uma poupança, contratar um seguro de vida ou saúde, e etc. Se olharmos a nossa volta certamente encontraremos vários exemplos destes.

Para complicar mais a situação vemos várias empresas que agem desta mesma maneira, são administradas considerando que os imprevistos não existem ou ainda não consideram os riscos.

Vejamos o exemplo das cidades de Mariana e Brumadinho onde empresas de grande porte não consideraram os riscos de suas barragens, causando perdas financeiras e de vidas humanas imensas.

Nós, brasileiros, somos considerados otimistas por natureza, e talvez displicentes demais.

• Quando temos saúde deixamos de contratar o seguro saúde (não estou precisando!) mas quando precisamos dele, já não somos aceitos nos planos ou o custo fica impraticável.

• Quando jovens achamos que fazer previdência é coisa de velho ou deixamos de fazer o seguro de vida com a certeza de que não vamos morrer logo ou que não existe a possibilidade de sofrermos qualquer acidente.

• Iniciamos um empreendimento, investimos todo o nosso capital, nosso conhecimento, nosso tempo, porém, muitas vezes não consideramos a possibilidade dos imprevistos.

Estas atitudes tem o nome de “imprevidência” !

Fica fácil criticar a grande empresa que construiu o setor administrativo e o refeitório logo abaixo da barragem que se mostrou insegura e causou grande prejuízo e várias mortes.

Mas devemos nos lembrar das nossas atitudes de previdência aos nossos riscos, quando pensamos em família precisamos ter ciência que estamos sujeitos a acidentes, e aos problemas eventuais de saúde.

Quando empreendemos devemos nos preocupar em proteger os nossos bens, nossos investimentos e aos terceiros que podem ser prejudicados por atividades do nosso negócio.

Cabe ao corretor de seguro analisar juntamente com o seu cliente, seja pessoa física ou pessoa jurídica, seus riscos e suas reais necessidades de proteção.

Se pudermos dar algum conselho, o melhor sem dúvida será:

“Procure o corretor de seguros” não espere o pior acontecer para se lamentar.

Comentários

Newsletter



Facebook

Instagram

Twitter

Revista Cobertura's Twitter avatar
Revista Cobertura
@RevCobertura

Sicredi firma parceria com Tokio Marine e Liberty e amplia portfólio de seguro para automóveis - t.co/deZULJiQvY

Revista Cobertura's Twitter avatar
Revista Cobertura
@RevCobertura

Tokio 60 anos: executivo ressalta a importância dos corretores e assessorias de seguros - t.co/x2yqeiwCre

Revista Cobertura's Twitter avatar
Revista Cobertura
@RevCobertura

A edição de julho (211) da Revista Cobertura já está disponível em nosso site! t.co/85e0r46LHO Alguns temas… t.co/Bp7xAqkRvg

To Top