Tecnologia & Serviços

Estudo mostra que uso da Inteligência Artificial no combate a fraudes deve triplicar até 2021

 

Pesquisa da Associação dos Investigadores de Fraudes Certificados (ACFE) em parceria com o SAS aponta que análises avançadas de dados e biometria são essenciais em tecnologias antifraude

São Paulo, 25 de junho de 2019 – Enquanto apenas 13% das empresas usam a Inteligência Artificial e Machine Learning para detectar e impedir casos de fraudes, outros 25% planejam adotar essas tecnologias em até dois anos. É o que revela um estudo global desenvolvido pela Associação dos Investigadores de Fraude Certificados (ACFE), maior organização antifraude do mundo, em parceria com o SAS, líder global em Analytics.

A pesquisa The Anti-Fraud Technology Benchmarking Report analisou os dados de mais de mil membros da ACFE quanto ao uso das tecnologias antifraude em suas empresas. Ela também apontou:

– Aumento da biometria: uma a cada quatro empresas (26%) usa a biometria como parte de seus programas antifraude; outros 16% preveem implementá-la até 2021;

– Orçamentos crescentes: mais da metade das empresas (55%) planeja aumentar seus orçamentos de tecnologia antifraude nos próximos dois anos;

– Mudança das técnicas de análise de dados: até 2021, quase três quartos das empresas (72%) planejam fazer uso de monitoramento automatizado, relatórios de exceção e detecção de anomalias. Da mesma forma, cerca de metade das empresas prevê o uso de análise preditiva e modelagem (52%) e visualização de dados (47%).

Conforme os criminosos encontram novas maneiras de usar a tecnologia para fazer novas vítimas, os especialistas em combate a fraudes também devem adotar técnicas mais avançadas para detê-los”, diz Bruce Dorris, presidente da ACFE. “Mas entre elas, quais são as mais efetivas em ajudar as empresas a gerenciar os riscos crescentes de fraude? A resposta para essa pergunta é crucial para o sucesso de sua implementação das tecnologias com esse objetivo”.

Tendências por setor

A solução de visualização online de dados do SAS permite que os usuários analisem as informações da pesquisa separadas por setor, região e tamanho da organização. As empresas consultadas estão divididas em 24 setores em nível global, predominantemente de serviços bancários e financeiros (21%) e governo e administração pública (17%), cujo porte varia entre 100 e mais de 10 mil funcionários.

“Entender essas soluções e estratégias pode ajudar as empresas a compreender para onde o setor está se movendo e para onde devem direcionar os seus investimentos em tecnologia antifraude”, diz James Ruotolo, diretor sênior de Produtos e Marketing para Fraudes e Inteligência de Segurança do SAS. “O crescimento da Inteligência Artificial, do Machine Learning, e da modelagem preditiva revela que a análise avançada de dados está ajudando os investigadores a estarem à frente dos fraudadores mais sofisticados”.

A íntegra da pesquisa (em inglês) está disponível no link https://www.sas.com/fraudreport

Comentários

Newsletter



Facebook

Instagram

Twitter

Revista Cobertura's Twitter avatar
Revista Cobertura
@RevCobertura

Apesar de queda nas ocorrências, 10 veículos são roubados por dia no DF - t.co/TLcYmmXOv9

Revista Cobertura's Twitter avatar
Revista Cobertura
@RevCobertura

Fabiano Lima é o novo diretor de Vida, Previdência e Capitalização da Zurich - t.co/2MJvvhcTb4

Revista Cobertura's Twitter avatar
Revista Cobertura
@RevCobertura

Bradesco Seguros disponibiliza novo site do Clube de Vantagens para facilitar navegação de usuários - t.co/6DufyZT64f

To Top