Artigos

O papel social do mercado segurador é de reconstrução

 

Por José Otávio Sampaio, Head da Willis Towers Watson 

O impacto econômico da Covid-19 (coronavírus) será claramente significativo em diversos países, incluindo o Brasil. Empresas em todo o mundo enfrentam perdas que estão forçando a redução e, em alguns casos, até mesmo o encerramento das operações. Muitas delas enxergam nos profissionais e nas companhias que atuam no mercado segurador a esperança do auxílio para uma retomada econômica menos árdua.

José Otávio Sampaio

No entanto, em meio a tantas preocupações que o atual cenário vem gerando para as organizações, enxergamos que o risco de saúde é o mais latente e o que deve receber mais atenção. Nossa principal preocupação é e deve continuar a ser o bem-estar de nossos colegas, clientes, familiares e comunidades em que vivemos e trabalhamos.

Velocidade, eficiência e resiliência são as palavras-chaves para fornecer ajuda de emergência, dada a escala sem precedentes desta crise. Para se adaptar ao novo cenário, o segmento necessita da modernização do ambiente de negócios, com a priorização do uso de tecnologias. O surto que está ocorrendo pode trazer uma mudança significante para o mercado, fornecendo uma maior gama de dados para ajudar as seguradoras a lidar melhor com o risco de pandemias e desenvolver uma ampla variedade de produtos em resposta. Certamente sairemos mais fortes e amadurecidos dessa situação.

O objetivo agora deve ser o de fornecer suporte eficiente para estabelecer estratégias de resiliência, de mitigação de riscos e de continuidade de negócios para os segurados. É preciso estreitar ainda mais o relacionamento com os clientes, auxiliando-os a entender o que é possível fazer para se proteger diante do atual cenário e como as coberturas de seguro existentes podem responder às necessidades que se impõem. As comunicações de crise precisam ser intensificadas neste momento. Revisar e atualizar processos de comunicação internos e externos é fundamental para garantir que todos tenham conhecimento da situação, reduzindo, assim, a ansiedade, e garantindo a continuidade das operações de modo eficiente.

No segmento de seguros, trabalhamos para criar o maior grau possível de segurança financeira e tranquilidade para empresas e indivíduos, independentemente de quais desafios possam acabar se materializando. Diante desta pandemia, precisamos estar preparados e confiantes na recuperação, mesmo que ela seja lenta, apostando que é possível devolver ao Brasil o desenvolvimento nos mais variados setores. Temos um papel fundamental na reconstrução do nosso país. Portanto, seguiremos na busca por auxiliar os clientes a terem seus riscos protegidos na medida do possível, a fim de que tenhamos o quanto antes a retomada de um futuro promissor, que desejamos que seja próximo.

 

Comentários

Newsletter



Facebook

Instagram

Twitter

Revista Cobertura's Twitter avatar
Revista Cobertura
@RevCobertura

“Assessoria é um modelo que traz uma racionalidade econômica muito grande para as seguradoras”, destaca o CEO da HD… t.co/x2BiAPJLt1

Revista Cobertura's Twitter avatar
Revista Cobertura
@RevCobertura

“Corretor não vende seguros, ele é um comprador de seguros” e tem um grande papel no combate à fraude - t.co/zq9tkL0uOZ

Revista Cobertura's Twitter avatar
Revista Cobertura
@RevCobertura

AllCare vence Prêmio SMART Customer 2020 - t.co/7ZNjBJdm36

To Top