Notícias da Revista da Aconseg-SP

Riscos Digitais da Tokio Marine

 

O produto Riscos Digitais da Tokio Marine atende empresas de todos os portes, incluindo as PMEs. “Inicialmente, para quaisquer ramos de atuação, uma vez que pequenas e médias empresas estão expostas aos riscos digitais por diversos fatores de fragilidade. Muitas vezes, por falta de conhecimento ou por não possuírem uma estrutura dedicada”, diz Caroline Ayub, superintendente de Garantia e Linhas Financeiras da Tokio Marine.

Ela lembra que há uma grande heterogeneidade na atividade das PMEs, como pequenos escritórios, empresas de prestação de serviço, construção e comércio. “Nós temos feito um trabalho intenso de conscientização dos corretores a respeito da importância da oferta desta proteção para as PMEs”.

Cobertura

A apólice de Riscos Digitais da Tokio Marine garante cobertura em decorrência de ataques cibernéticos, em casos onde haja danos causados à própria empresa ou sua responsabilização por danos a terceiros.

“Na responsabilidade por danos a terceiros, estamos falando das coberturas de custos de defesa, indenizações e acordos. Entre os danos à própria empresa, estão cobertos os custos de remediação, que incluem custos como os de recuperação de sistema e de reconstituição de rede, assim como os associados à extorsão cibernética e lucros cessantes”, informa Caroline Ayub.

Limites

Um dos diferenciais do produto é a flexibilidade dos limites de cobertura. “O cliente é quem escolhe o limite que deseja contratar, a partir das suas necessidades de proteção. A escolha depende de uma série de fatores, como porte da empresa, grau de informatização de suas operações, medidas de segurança utilizadas e o tipo de informações de terceiros armazenadas em seus sistemas”.

No portfólio

Segundo Caroline, os corretores precisam ter em mente que o tema segurança da informação já é uma realidade nas PMEs e deve ser tratado com a devida importância, principalmente nos dias de hoje e que com a Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais (LGPD), aguardando entrar em vigor, os empresários precisarão ficar ainda mais atentos às adequações necessárias.

“Importante lembrar também que neste cenário de pandemia, no qual existe uma necessidade de manter os negócios de forma remota para preservar a saúde das pessoas, o seguro é fundamental, especialmente para as pequenas e médias empresas. Diante disso, reforço novamente o potencial de geração de negócios para os corretores”, finaliza.

Conteúdo da edição de abril/maio/junho (número 50) da Aconseg-SP

Comentários

Newsletter



Facebook

Twitter

Revista Cobertura's Twitter avatar
Revista Cobertura
@RevCobertura

Nasce em Brasília uma nova assessoria em seguros - t.co/R0o5Opjkd0

Revista Cobertura's Twitter avatar
Revista Cobertura
@RevCobertura

Estamos ao vivo no YouTube com Sérgio Magalhães, sócio da TASS Brasil, num bate-papo sobre o modelo de negócios e a… t.co/k2oxkipSMT

Revista Cobertura's Twitter avatar
Revista Cobertura
@RevCobertura

Confiança do consumidor aumenta, mas é preciso cautela - t.co/rwEpvbxb0H

To Top