Cobertura Especial

Edição de julho da Revista Cobertura aborda os impactos da pandemia na longevidade

 

Publicação ainda traz  a história de Christóvão de Moura, personagem que esteve à frente da luta que deu origem à lei nº 4.594/64, que completa 102 anos e relembra os bastidores da regulamentação profissional dos corretores

Embora a taxa de mortalidade aumente em 2020 por conta da pandemia causada pelo novo coronavírus, não afetará a projeção de longevidade no Brasil, segundo especialistas. Sob outra ótica, o período de isolamento tem fomentado uma maior conscientização sobre o autocuidado e os produtos de proteções.

“Costumava dizer que ninguém acorda querendo comprar um seguro de vida. Creio que não possa dizer o mesmo em futuro próximo. A pandemia trouxe o risco mais perto das pessoas, e isso fez com que homens e mulheres, particularmente os provedores dos recursos da família, acordassem para o risco da morte e ou invalidez prematuras”, diz o presidente do Instituto de Longevidade Mongeral Aegon, Nilton Molina.

Nesse contexto, é importante lembrar da necessidade de olhar para a quarta idade de forma diferente e enxergar pessoas com sonhos e energia para realizações. Na matéria “Horizonte prateado” citamos dois exemplos: o cartunista Maurício de Sousa e Nilton Molina. Dois profissionais ativos física e intelectualmente, que demonstram o é importante encarar a passagem do tempo de outra forma. Confira a discussão dos profissionais especializados em “Horizonte prateado” e as necessidades pensadas para os 65+.

Leia mais na edição de julho da Revista Cobertura:

# O corretor de seguros da Susep número 1 do Brasil: Christóvão de Moura, personagem que esteve à frente da luta que deu origem à lei nº 4.594/64, completa 102 anos e relembra os bastidores da regulamentação profissional dos corretores.

# Linhas financeiras em alta: Reaquecimento da economia deve impulsionar as linhas de Garantia e Responsabilidades: D&O, E&O e RCG.

# Entrevista com Helio Kinoshita: Mitsui Sumitomo se reinventa para estar ainda mais próxima dos corretores.

# A invasão dos drones no mapeamento dos riscos: utilização em vistorias e no gerenciamento de risco traz eficiência e segurança para o setor de seguros.

# Inovar para crescer: Diretor geral da GC do Brasil, José Luís S. Ferreira da Silva prevê mudanças expressivas no mercado.

# Escritórios das assessorias se tornaram virtuais: Luiz Philipe Baeta Neves, presidente da Aconseg-RJ, antecipa que os cursos da Universidade terão transmissões ao vivo.

O conteúdo pode ser acessado na versão digital da Revista Cobertura.

Comentários

Newsletter



Facebook

Twitter

Revista Cobertura's Twitter avatar
Revista Cobertura
@RevCobertura

Primeiro semestre reforça resiliência do setor de seguros - t.co/xHP4hnV70u

Revista Cobertura's Twitter avatar
Revista Cobertura
@RevCobertura

11º Seminário UNIDAS: Demanda reprimida de crônicos vai impactar sistemas de atenção à saúde - t.co/8zj3mVEzz1

Revista Cobertura's Twitter avatar
Revista Cobertura
@RevCobertura

A demanda pós-COVID-19 por conhecimento cibernético é uma oportunidade para corretores, diz GlobalData - t.co/rVjRIrEbvW

To Top