Tecnologia & Serviços

Os roteadores domésticos viraram ciberinimigos?

 

Roteadores domésticos são afetados, em média, por 53 vulnerabilidades consideradas críticas

São Paulo – As redes sem fio residenciais estão muito mais vulneráveis do que se pensa. De acordo com um estudo publicado pelo alemão Fraunhofer Institute, intitulado “Relatório de Segurança dos Roteadores Domésticos”, todos os roteadores pesquisados não só possuem falhas de segurança, mas também são afetados por centenas de vulnerabilidades conhecidas.

As descobertas são estarrecedoras e apontam que a segurança dos usuários domésticos não é uma das prioridades dos fabricantes. Até o mais “seguro” dos roteadores pesquisados apresentou 21 vulnerabilidades consideradas críticas (CVE, na sigla em inglês).

Ao mesmo tempo em que as pessoas cometem erros comuns na hora de configurar o aparelho, eles não são as fontes primárias da falta de segurança. As atualizações do dispositivo e a versão do sistema operacional são algumas das principais causas dos aparelhos apresentarem falhas de segurança antes mesmo de serem ligados pela primeira vez.

Então não podemos fazer nada para melhorar a segurança da nossa rede sem fio doméstica? Não é bem assim. Algumas atitudes simples podem ser tomadas para dificultar os ciberataques. Mudar o nome padrão da sua rede doméstica, criar uma senha considerada forte para a rede e o administrador e desligar a sua rede doméstica quando sair de casa, são algumas delas.

Instalar o roteador no meio de casa e longe das janelas também impedirá que o sinal chegue muito longe e seja interceptado por pessoas com intenções maliciosas. Desabilitar o acesso remoto e manter o software do seu roteador atualizado também são ações recomendadas, bem como utilizar um firewall e melhorar a proteção dos dispositivos conectados a sua rede doméstica.

Thiago Souza, responsável pela operação brasileira da Allotfornecedora líder de soluções inovadoras de inteligência e segurança de rede para provedores de serviços em todo o mundo, explica que a as falhas de segurança nos roteadores representam uma oportunidade para as operadoras de banda larga fixa e móvel, que podem adotar soluções de segurança direto na rede.

“Com a tecnologia de suporte correta, as empresas do setor podem diferenciar suas ofertas e aumentar as receitas implementando recursos avançados de segurança, fornecendo proteções avançadas e um conjunto atraente de serviços em toda a rede para proteger os clientes. A segurança baseada em rede interrompe as ameaças antes que elas cheguem aos roteadores dos usuários. Como a proteção é executada na rede, nenhum download é necessário, e ela é compatível com qualquer dispositivo e sistemas operacionais, além de estar sempre atualizada para enfrentar as ameaças mais recentes”.

 

Comentários

Newsletter



Facebook

Twitter

Revista Cobertura's Twitter avatar
Revista Cobertura
@RevCobertura

Nasce em Brasília uma nova assessoria em seguros - t.co/R0o5Opjkd0

Revista Cobertura's Twitter avatar
Revista Cobertura
@RevCobertura

Estamos ao vivo no YouTube com Sérgio Magalhães, sócio da TASS Brasil, num bate-papo sobre o modelo de negócios e a… t.co/k2oxkipSMT

Revista Cobertura's Twitter avatar
Revista Cobertura
@RevCobertura

Confiança do consumidor aumenta, mas é preciso cautela - t.co/rwEpvbxb0H

To Top