Seguros Gerais

ICSS indica que mercado está mais otimista

 

O Índice de Confiança do Setor de Seguros (ICSS) apurado através de pesquisa realizada pela Fenacor, aponta que corretores, seguradores e, em menor escala, os resseguradores estão mais otimistas neste final de outubro. Os indicadores voltaram a ficar acima de 100 pontos, tanto nos casos de corretores (111,1) quanto de seguradores (107,2). Já entre os resseguradores, chegou perto disso, alcançando 99,5.

Em termos econômicos, as respostas foram predominantemente positivas, apontando um cenário melhor nos próximos seis meses.

Embora a base atual seja baixa, o que ajuda na comparação mais favorável, é importante destacar que a última vez que tal comportamento otimista prevaleceu foi na pesquisa realizada em fevereiro deste ano.

ECONOMIA. A pesquisa apurou que 33% dos corretores e 44% dos seguradores acreditam em crescimento da economia nos próximos seis meses. A grande maioria dos corretores – 67% – aguardam um quadro de estabilidade, projeção feita por 36% dos seguradores. Há ainda um percentual 20% de seguradores que acreditam em um quadro “pior” nos próximos meses.

FATURAMENTO. Apenas 5% dos corretores temem uma queda do faturamento do setor no final de 2020 e início de 2021.Para 76% dos entrevistados a receita ficará estável, enquanto 19% apostam no crescimento.

Entre os seguradores, 4% dos entrevistados projetam um faturamento “muito melhor”, 32% aguardam um quadro “melhor” e somente 16% temem uma queda na arrecadação. Para 48%, a receita permanecerá estável.

RENTABILIDADE. Quanto à rentabilidade, 61% dos corretores apostam em um cenário estável e 29% acreditam na possibilidade de um avanço.

Entre os seguradores, 24% enxergam a possibilidade de crescimento e 48% projetam um cenário de estabilidade. Há ainda 28% que temem uma redução da rentabilidade do setor.

A seguir, os últimos indicadores obtidos:

 

Indicador

Jun.20

Jul.20

Ago.20

Set.20

Out.20

ICES – Índice Confiança e Expectativas das Seguradoras

59,2

74,3

93,5

99,7

107,2

ICER – Índice Confiança e Expectativas das Reseguradoras

66,4

92,0

106,4

87,5

99,5

ICGC – Índice Confiança e Expectativas das Grandes Corretoras

65,2

97,3

107,3

105,7

111,1

ICSS – Índice Confiança do Setor de Seguros

63,5

87,3

102,2

97,4

105,8

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

1.    Expectativas para daqui a 6 meses

 

Crescimento da Economia Brasileira

 

Avaliação (%)

Seguradoras

Corretoras

Resseguradoras

Muito Melhor

0

0

0

Melhor

44

33

17

Igual

36

67

49

Pior

20

0

17

Muito Pior

0

0

17

Total

100

100

100

 

b) Rentabilidade do setor

 

Avaliação (%)

Seguradoras

Corretoras

Resseguradoras

Muito Melhor

0

0

0

Melhor

24

29

33

Igual

48

61

50

Pior

28

10

17

Muito Pior

0

0

0

Total

100

100

100

 

c) Faturamento do setor

 

Avaliação (%)

Seguradoras

Corretoras

Resseguradoras

Muito Melhor

4

0

0

Melhor

32

19

17

Igual

48

76

83

Pior

16

5

0

Muito Pior

0

0

0

Total

100

100

100

 

ICSS: O ICSS mede a confiança do setor de seguros no Brasil. Esse indicador é o resultado de três variáveis: ICES (Índice de Confiança e Expectativas das Seguradoras), ICER (Índice de Confiança e Expectativas das Resseguradoras) e ICGC (Índice de Confiança das Grandes Corretoras).

Em todos os finais de mês são enviadas perguntas simples, de múltipla escolha, em que as empresas dizem sobre o que esperam que aconteça nos próximos seis meses, com relação a algumas variáveis relevantes do setor. Ao todo, aproximadamente 100 companhias são entrevistadas.

No seu cálculo, o indicador leva em conta três aspectos: economia brasileira, faturamento e rentabilidade de cada um dos setores citados.

A partir dessas informações, e após cálculos estatísticos, é definido esse índice, cujo valor varia de 0 a 200. O número 100, que divide o índice ao meio, sinaliza que a expectativa atual é que a situação permaneça a mesma no futuro. Quanto maior esse valor, mais otimista está o segmento; e vice-versa.

Essa metodologia segue um padrão similar ao existente em Indicadores de Confiança de outros setores econômicos – por exemplo, Índice McKinsey, Índice Fecap (IFECAP), Índice de Confiança do Comércio (ICEC), Índice de Confiança da Indústria (ICI), etc.

Em termos econômicos, o ICSS tem três objetivos principais:

– permitir a comparação com outros indicadores similares da economia (macroeconômicos e de setores específicos);

·         tornar-se uma fonte teórica e acadêmica;

·         o próprio segmento avaliado e seus setores relacionados passam a compreender as expectativas atuais e, assim, podem entender melhor esse mercado e fazer com mais acuidade as suas previsões.

 

 

Comentários

Newsletter



Facebook

Instagram

Twitter

Revista Cobertura's Twitter avatar
Revista Cobertura
@RevCobertura

Covid-19: Custo mediano de diária em UTI é de R$ 2.234 - t.co/rn7WXLVgtc

Revista Cobertura's Twitter avatar
Revista Cobertura
@RevCobertura

Beatriz Terra é nova Head de Marketing do Grupo PetraGold - t.co/x5tb4ZOAeP

Revista Cobertura's Twitter avatar
Revista Cobertura
@RevCobertura

Inovações da Porto Seguro ajudam o corretor no novo cenário - t.co/289z8Qq5Gv

To Top