Demandas por seguros de RC após a pandemia

 

Por Karin Fuchs

Companhias investem em inovações e ampliam coberturas do seguro de RC. Segue a tendência de contratação para atividades médicas

O Seguro de Responsabilidade Civil é considerado um dos segmentos mais promissores, tendo em vista a demanda observada atualmente pelo mercado. Inclusive, é uma das principais linhas de negócios no escopo da FenSeg.

Carolina dos Santos Pironi
Fator Seguradora

Por força das circunstâncias, a maior demanda na Fator Seguradora tem sido para os seguros de RC Profissional Médico, que englobam centros de diagnóstico, hospitais, pronto-socorro, clínicas médicas e o próprio profissional médico, segundo Carolina dos Santos Pironi, subscritora Sênior e especialista em RC Profissional. “Quem não tinha esse seguro percebeu rapidamente sua importância já que esse segmento tem sido fortemente impactado com a covid-19. As rotinas estão muito mais duras, as jornadas estão mais longas, além da alta pressão física e, principalmente, psicológica vivida nos ambientes hospitalares”.

Ela explica que esses elementos combinados deixam os profissionais da saúde muito vulneráveis, sujeitos a falhas não intencionais no exercício de suas profissões. “Essas falhas viram processos, processos são custosos e, se comprovado a falha, pode comprometer carreira. O seguro de RC Profissional se torna um grande aliado na proteção do capital do segurado e, em alguns casos, na continuidade da atividade da empresa ou do profissional. Existe proteção para uma série de intercorrências que possam vir a acontecer”. 

Fernando Gonçalves
Argo Seguros

Na Argo Seguros, Fernando Gonçalves, head Financial Lines/Surety/P&C, diz que eles têm notado que mesmo com todo o impacto gerado pela pandemia há uma resiliência no mercado de seguros, pois os segurados enxergam o valor dos produtos ofertados e são conscientes da necessidade da sua contratação. “No nosso portfólio, os produtos voltados aos setores e profissões relacionadas à saúde têm se destacado, como as apólices de Responsabilidade Civil Geral para testes/ensaios clínicos e as apólices de Responsabilidade Civil Profissional para médicos e demais profissionais da saúde”.

Retomada

Nathália Gallinari
AIG Seguros

Na retomada da economia, Nathália Gallinari, gerente de Responsabilidade Civil e Ambiental da AIG Seguros, diz que “à medida que tenhamos a retomada da economia, esperamos ver o crescimento da demanda de infraestrutura, tanto com grandes obras, quanto no segmento de médio porte, com construções e empreendimentos. Nesse sentido, o seguro de RC para Obras conta com oportunidades de crescimento de mercado”.

Gonçalves lembra que há setores que estagnaram em razão da pandemia, como consequência das medidas de quarentena e distanciamento social que foram impostos e dificultaram ou impediram a manutenção da atividade empresarial. “Nesse sentido, eles tendem a demandarem mais o seguro ao retomarem suas atividades. Hotéis e todo o setor de turismo, eventos, comércio e serviços devem puxar a fila no momento da retomada”.

Na opinião de Carolina Pironi, continuarão as boas oportunidade nos ramos de RC Profissional Médico e uma forte tendência é os seguros para o setor de tecnologia. “Com a pandemia, todos se viram obrigados a mudar seu modus operandi, independentemente do porte da empresa. Os planos de contingência tiveram que ser acionados ou planejados da noite para o dia e o foco se concentrou em melhorias de processos de tecnologia, principalmente para obter sucesso na operação de migração de funcionários para o home office”.

Ela explica que essa mudança exigiu melhorias em sistemas, digitalização de documentos, soluções de videoconferência, telefonia e, principalmente, tecnologia para garantir segurança da informação. “O caminho é sem volta e o mundo será mais tecnológico do que nunca, razão pela qual empresas desse ramo crescerão. Com isso, novos profissionais surgirão, prestadores de serviços serão mais solicitados e seguros, principalmente os de responsabilidade civil serão cada vez mais necessários”.

Inovações

A Argo Seguros tem investido na ampliação das ofertas disponíveis em suas plataformas digitais e em produtos específicos para nichos como, por exemplo, os Testes Clínicos e o Transporte de Cargas Poluentes. “Estamos trabalhando para a contínua melhora nas nossas ofertas e na ampliação do nosso portfólio digital, total ou parcialmente automatizado, com novos ramos e nichos disponíveis em nossas plataformas”, conta Gonçalves.

Também é foco viabilizar a formação de pacotes com mais de um ramo de seguros. “Para que o nosso segurado, através dos nossos corretores parceiros, possa servir-se de soluções amplas com a contratação facilitada e digital. Para um segurado da área da saúde que contrata o Responsabilidade Civil Profissional, por exemplo, queremos que ele também possa contratar no mesmo pacote o RC Geral e o Empresarial para a sua clínica”.

Gonçalves comenta que nos cinco primeiros meses de 2020, em relação a igual período de 2019, a companhia registrou um crescimento de cerca de 98% na carteira de Responsabilidade Civil Geral e de 13,4% nas carteiras de Responsabilidade Civil Profissional. “Considerando que o momento é de pandemia com a estagnação e retração de diversos setores importantes para a economia, o horizonte que se abre com o fim da quarentena nos parece favorável a um crescimento mais robusto com as atividades econômicas voltando à sua normalidade”.

Carolina Pironi diz que a Fator Seguradora já inova ao cobrir mais de 40 atividades profissionais. “Isso nos fez especialistas nesse produto, e, por isso, trabalhamos em diferenciais que merecem ser destacados. Na pandemia, onde muitas seguradoras têm sido impactadas por ocorrências que viram sinistros, a tendência é apertar nas cláusulas e ser mais conservador na avaliação dos riscos. Decidimos ser ainda mais parceiros de nossos clientes não agravando as condições das apólices por conta desse fato”.

A companhia oferece coberturas até para cenários novos, como a Telemedicina. “Com a drástica redução das consultas presenciais, médicos já aptos para atender remotamente estão mais sobrecarregados e estressados. Com isso, as falhas na prestação desse serviço se tornam mais comuns, fazendo com que o paciente, ou quem o representa, exija reparação”, explica Carolina Pironi.

Além disso, novos profissionais liberais tendem a surgir. “Muitos profissionais perderam seus empregos, outros fecharam suas empresas, clínicas, consultórios e com isso poderão surgir novos profissionais liberais. Esses, mais do que ninguém, precisarão garantir tranquilidade no exercício de suas profissões, já que não possuirão o respaldo jurídico que as empresas oferecem para quem é contratado em regime CLT, tornando fundamental a aquisição de um RC Profissional”.

Também haverá mudanças na forma de realizarem os  treinamentos. “Antes feitos de forma mais abrangente, passando por todos as profissões, para um modelo muito mais focado. Direcionaremos nossa comunicação e investimentos em marketing para canais especializados em atividades profissionais específicas, participaremos de mais eventos, mesmo que online, fecharemos parcerias com blogueiros e digital influencers especialistas nas mais diversas profissões. E lançaremos a campanha de vendas 2020/2021 com foco em RC Profissional”.

Outras especialidades

Recentemente, a AIG ampliou sua cobertura do seguro de RC voltado ao segmento de transportador logístico. “O seguro de Responsabilidade Civil Operações da AIG, voltado ao segmento de transportadoras e empresas com frotas e veículos comerciais, passa a oferecer um escopo bem amplo de coberturas, incluindo as coberturas de subsidiária de cargas e adicional de RCFV 2º risco”, informa Nathália Gallinari.

Esta última pode ser acionada caso seja necessário complementar o limite original da apólice da frota. São até R$ 4 milhões de limite segurado e 100% de cobertura para danos morais e estéticos. “Essa cobertura de RCFV 2º risco, em excesso, só pode ser comercializado mediante a emissão de apólices do RC Operações. Para esta cobertura em específico, cobrimos danos em excesso ao primeiro risco, a partir de R$ 200 mil. Se o segurado usou R$ 200 mil de danos a terceiros de sua apólice veicular, cobriremos o que exceder esse valor até o limite contratado na apólice”.

Outro destaque da AIG é o seguro de Produtos Contaminados, com cobertura específica para a contaminação de produtos. “Diferentemente do que já existe no mercado com o seguro de RC para produtos, ele cobre a contaminação acidental e/ou maliciosa, bem como recolhimento determinado pelo governo, de alimentícios (comida e bebida) nas diferentes partes do processo produtivo, da matéria prima à distribuição, além da logística reversa e custos para apoio na gestão reputacional da empresa”.

Nesse seguro também existe a garantia de indenização para interrupção dos negócios causada diretamente pelo incidente e o seguro de Produto e serviço de assistências especializadas em gerenciamento de crise em caso de sinistros. A AIG oferece aos corretores a possibilidade de realizar suas cotações e emissão das apólices de forma digital, 100% online via Portal do Corretor AIG. Por meio da ferramenta, eles têm mais autonomia e agilidade no processo, além de poder acompanhar o status das apólices e endossos de seus clientes, sinistros abertos e pagamento de suas comissões.

Conteúdo da edição de junho (221) da Revista Cobertura

Comentários

Newsletter



Facebook

Twitter

Revista Cobertura's Twitter avatar
Revista Cobertura
@RevCobertura

Nasce em Brasília uma nova assessoria em seguros - t.co/R0o5Opjkd0

Revista Cobertura's Twitter avatar
Revista Cobertura
@RevCobertura

Estamos ao vivo no YouTube com Sérgio Magalhães, sócio da TASS Brasil, num bate-papo sobre o modelo de negócios e a… t.co/k2oxkipSMT

Revista Cobertura's Twitter avatar
Revista Cobertura
@RevCobertura

Confiança do consumidor aumenta, mas é preciso cautela - t.co/rwEpvbxb0H

To Top